domingo, 21 de abril de 2013

Pronomes pessoais - Atividades de fixação


I-                   Lê este outro trecho da música “Estudo errado” de Gabriel Pensador:
(...) Eles me tratam como ameba e assim eu não raciocino
Não aprendo as causas e consequências, só decoro os fatos
Desse jeito até história fica chato
Mas os velhos me disseram que o "porquê" é o segredo
Então quando eu num entendo nada, eu levanto o dedo
Porque eu quero usar a mente pra ficar inteligente
Eu sei que ainda não sou gente grande, mas eu já sou gente
E sei que o estudo é uma coisa boa
O problema é que sem motivação a gente enjoa (...)
(...)Eu gosto dos professores e eu preciso de um mestre
Mas eu prefiro que eles me ensinem alguma coisa que preste
- O que é corrupção? Pra que serve um deputado?
Não me diga que o Brasil foi descoberto por acaso!
Ou que a minhoca é hermafrodita
Ou sobre a tênia solitária.
Não me faça decorar as capitanias hereditárias!! (...)

II-                Refletindo:
1-      Por que Juquinha afirma que o tratam como “ameba”?
2-      Comenta este trecho da letra da música: “Não aprendo as causas e consequências só decoro os fatos”.
3-      O que Juquinha quis dizer com “Eu sei que ainda não sou gente grande, mas eu já sou gente”?
4-      “O problema é que sem motivação a gente enjoa (...)” Tu concordas com Juquinha? Por quê?

III-             Marca a resposta certa:
1-      Eles me tratam como ameba e assim eu não raciocino”. Assinala a alternativa que classifica corretamente os pronomes em destaque neste trecho do texto:
a)      Eles é pronome reto porque é sujeito da oração e “eu” é oblíquo porque exerce a função de complemento;
b)      Eles é oblíquo porque exerce a função de complemento e “eu” é reto porque exerce a função de sujeito;
c)      Ambos os pronomes são retos porque exercem função de sujeito das orações;
d)      Ambos os pronomes são oblíquos porque exercem função de complemento.

2-      “Mas eu prefiro que eles me ensinem alguma coisa que preste”. Assinala a alternativa que classifica corretamente o pronome  em destaque:
a)      O pronome “me” é reto, porque exerce a função de sujeito da oração;
b)      O pronome “me” é oblíquo e exerce a função de objeto direto do verbo “ensinar”;
c)      O pronome “me” é oblíquo e exerce a função de objeto indireto do verbo “ensinar”;
d)      O pronome “me” é oblíquo e exerce a função de complemento nominal.

IV-             A tira abaixo serve de base para as questões 1 e 2:

1-      A tira apresenta a cena da vida de um casal. Descreve o que está acontecendo.
2-      Há, no texto, várias ocorrências de pronomes pessoais. Destaca-os.
a)      O uso de pronomes de 1ª pessoa, associado ao verbo aguentar indica um pressuposto sobre a personalidade da personagem masculina. Que pressuposto  é esse e de que forma o uso dos pronomes contribui para explicitá-lo?
b)      A fala do homem é apresentada como um argumento para que a mulher não vá embora. O uso de um determinado pronome, porém, revela por que esse argumento é absurdo. Destaca esse pronome e explica por que o “argumento” apresentado pode ter o efeito contrário do pretendido.

3-      No trecho “Você não me aguenta mais”? O pronome em destaque é:
a)      Reto, porque exerce a função de sujeito da oração;
b)      Oblíquo e exerce a função de objeto direto do verbo “aguentar”;
c)      Oblíquo e exerce a função de objeto indireto do verbo “aguentar”;
d)      Oblíquo e exerce a função de complemento nominal.

4-      Na fala do homem “...nem eu me aguento...” O pronome em destaque é:
a)      Reto, porque exerce a função de sujeito da oração;
b)      Reflexivo, porque indica que o sujeito pratica e sofre a ação expressa pelo verbo;
c)      Recíproco, porque expressa uma ação mútua;
d)      Pronome apassivador.

V-     Lê este diálogo entre um pai e um filho adolescente:
                  “- Hoje em dia, por causa dessa praga da internet, os jovens não se conhecem mais, nem mesmo se compreendem! É lamentável! – diz o pai.
                     - Ah... paizão, não é assim não... Eu, por exemplo, me conheço muito bem e me compreendo perfeitamente. – conclui o filho”.

1-      Qual a tua opinião sobre o trecho acima?
2-      Segundo o pai, a internet interfere no processo de autoconhecimento e compreensão pessoal. O que tu pensas sobre isso?
3-      O que reflete a fala do filho?
4-      Em relação aos pronomes “se” e “me” presentes nessas falas, identifica a afirmação correta:
a)      O pai pretendeu dar ao pronome “se” o sentido de reflexividade, significando reflexividade, significando  “a si mesmos”;
b)      O filho interpreta o pronome “se” com sentido de reciprocidade, equivalendo, portanto, à expressão “um ao outro”;
c)      Tanto na fala do pai, quanto na do filho, o pronome “se” tem valor reflexivo, significando “a si mesmos”;
d)      O pai emprega a forma “se” com sentido de reciprocidade; o filho atribui a esse pronome o sentido de reflexividade.

           VI-                 Reescreve a frase abaixo, substituindo o pronome “você” pelo pronome “tu”:
                “Já que entre mim e você na há mais confiança, é melhor que você se prepare para viver sozinho”.
  
           VII-        Lê:
                “No discurso de posse, tu deves reafirmar que não te esquecerás dos compromissos que assumiste com teus colaboradores’.
              Fazendo as adaptações necessárias, reescreve a frase substituindo o pronome “tu” por “Vossa Excelência”

 VIII-    Assinala a alternativa em que há ERRO quanto ao uso do pronome pessoal:
a)      O carteiro entregou o telegrama para mim.
b)      Trouxeste o livro para eu ler?
c)      Para mim ler isso, preciso pôr os óculos.
d)      Para mim, ler à noite é um sacrifício.

             IX-    Assinala a alternativa correta  quanto ao uso do pronome pessoal:
a)      Ontem aconteceu uma discussão entre eu e ela.
b)      Entre eu e ela não há mais nada.
c)      Sem mim, eles não iriam ao escritório.
d)      Sem mim autorizar, eles não iriam ao escritório.

                  X- Observa: 

1- O humor da tira decorre da reação de uma das cobras com relação ao uso de pronome pessoal reto, em vez de pronome oblíquo. De acordo com a norma padrão da língua, esse uso é inadequado, pois:
            a)  contraria o uso previsto para o registro oral da língua.
            b) contraria a marcação das funções sintáticas de sujeito e objeto.
            c) gera inadequação na concordância com o verbo.
            d) gera ambiguidade na leitura do texto.
 (ENEM 2011)
                    2-   Em “Vamos arrasar eles” o falante usa:
                        a)      Língua culta                                                   c) gíria
                        b)      Língua coloquial                                            d) regionalismo

          3-   Reescreve a fala da cobra no segundo quadrinho “Vamos arrasar eles” adequando à norma culta:

          XI- Agora que já exploramos bastante a letra da música do Gabriel Pensador “Estudo errado”, proponho que produzas um texto  abordando alguns aspectos citados pelo compositor. Explora, especialmente a dupla possibilidade de sentido do título.
Escreve, revisa, reescreve e depois que julgares que o teu texto está pronto, analisa a presença de pronomes pessoais.
Empregaste estes pronomes no texto? O que aparece mais: pronomes pessoais retos ou oblíquos?
O que trabalhamos nas aulas contribuiu para a produção do texto? Justifica.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ficamos contentes com teu comentário.
Tua participação é importante.

Postar um comentário

Educadores Multiplicadores